PIS e COFINS, o que mudou? | Blog Banco Fiscal

03, Janeiro de 2019

Henrique dos Santos

Henrique dos Santos

PIS e COFINS, o que mudou?

Primeiramente cabe explicarmos o que é o PIS e a Cofins e qual a sua finalidade.

O Programa de Integração Social, ou simplesmente PIS, é uma contribuição tributária de caráter social, que tem como objetivo financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos e entidades – tanto para os trabalhadores de empresas públicas, como privadas. Ele foi instituído através da Lei Complementar nº 7/1970 e é administrado pelo Ministério da Fazenda e pago pela Caixa Econômica Federal.

COFINS é a sigla de Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, que é uma contribuição social aplicada sobre o valor bruto apresentado por uma empresa. Como o próprio nome indica, a COFINS tem por objetivo financiar a Seguridade Social, ou seja, áreas fundamentais como: Previdência Social, Assistência Social e Saúde Pública.

Ambas as contribuições sociais são passíveis da tomada de crédito, desde que preenchidos os requisitos – instituídos no art. 3° da lei 10.637 de 2002 e da 10.833 de 2002 – e que o contribuinte esteja enquadrado no lucro real, ou em um regime não cumulativo.

Até o ano de 2018, a Receita Federal possuía um conceito “fechado” ao que se referia a insumo de Pis e Cofins, relacionando-o ao mesmo conceito de insumo dado ao IPI, ou seja, só era considerado insumo quando o bem ou serviço fosse empregado diretamente ao produto final, transformando-o em outro produto ou havendo o desgaste do material empregado na fabricação de tal. Sendo este o entendimento da RFB, vários contribuintes tiveram suas solicitações de créditos indeferidas.

Mas se o IPI possui seu conceito de insumo tão restritivo, enquanto o IRPJ possui um conceito de insumo mais abrangente, por que o PIS e a COFINS, que possuem fato gerador diferentes desses tributos, devem seguir o RIPI?

Recentemente, através do Parecer Normativo RFB nº 5 de 17.12.2018 – que traz as principais repercussões no âmbito da Secretaria da Receita Federal do Brasil –, a nova definição de insumo, estabelecida pela Primeira Seção do STJ no julgamento do recurso especial 1.221.170/PR, foi esclarecida.

“166. Com base no exposto, conclui-se que, conforme estabelecido pela Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça no Recurso Especial 1.221.170/PR, o conceito de insumo para fins de apuração de créditos da não cumulatividade da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins (inciso II do caput do art. 3º da Lei nº 10.637, de 2002, e da Lei nº 10.833, de 2003) deve ser aferido à luz dos critérios da essencialidade ou da relevância do bem ou serviço para a produção de bens destinados à venda ou para a prestação de serviços pela pessoa jurídica.”

Conforme manifesta a RFB, prevalece o conceito da essencialidade e da relevância para a apuração de crédito de PIS e Cofins – sendo o insumo de tal importância que, em sua ausência, o produto acabado/serviço prestado não pode ser finalizado ou perder sua qualidade.

Ressaltamos que só podem ser considerados insumos os dispêndios utilizados até a finalização de todo o processo, não sendo permitido eventuais gastos posteriores – exceto quando previsto na legislação do PIS e da COFINS.

Fechar

Entre em contato.

Queremos ajudar a sua empresa a ir além cuidando de cada detalhe.

O e-mail foi enviado com sucesso.

Voltar para a página inicial

Ocorreu um erro no envio.

Tentar novamente

© 2017.
Todos os direitos reservados.

Fechar

Faça seu Cadastro

Preencha o formulário indicando os campos necessários para concluir o seu cadastro e ter acesso às ferramentas do Banco Fiscal.

   Dados Cadastrais

   Dados para Acesso

O seu cadastro foi realizado com sucesso.

Ocorreu um erro no envio.

Tentar novamente

Seu usuário ou senha estão incorretos.

Fechar

Faça seu Login

Insira seus dados no formulário abaixo para acessar o Painel de Arquivos.

Seu usuário ou senha estão incorretos.

  Voltar para Login

Recuperar Senha

Informe abaixo o seu e-mail para receber as intruções para recuperação do seu acesso.